Platô (1) é uma plataforma híbrida por meio da qual interagem espaços físico (2) / virtual (3) de trabalho colaborativo entre designers / estúdios residentes (4) com diferentes áreas de atuação. Vitrine suporte para exposição de produtos (5) e projetos / intervenções (6). Lugar de cursos e oficinas (7) para aprofundamento / desdobramento da formação de profissionais em desenho.
Mark

7. CURSOS E OFICINAS


O Platô promove cursos e oficinas que tem por foco o aprofundamento / desdobramento da formação de profissionais em desenho e para públicos interessados de diversas áreas.

A dança como metodologia projetual para arquitetura
Daniel Kairoz
Às segundas-feiras – das 19:00 às 21:30
14, 21, 28 outubro
4, 11, 18, 25 novembro
2, 9 dezembro
Investimento: R$750,00

Como a Dança pode orientar a criação de um projeto Arquitetônico? Esse curso propõe olharmos a Arquitetura a partir de uma perspectiva Coreográfica, entendendo um projeto arquitetônico enquanto criação de fluxos e interrupções de movimentos em diálogo consciente ou não com o que os romanos chamavam de Genius Locci ou Espírito do Lugar, ou encantados e entidades numa perspectiva brasileira. Através de práticas de dança e da sensibilização dos corpos, criaremos condições de percepção das forças invisíveis que compõe os espaços e como tais forças se manifestam em matérias visíveis, dando a ver estruturas coreográficas já presentes num determinado lugar anteriores ao gesto arquitetônico. Tomar consciência dessas estruturas coreográficas nos dá a possibilidade de criar projetos em acordes com o Genius Locci em respeito à Terra, afim de evitarmos gestos de violência urbana que ignoram e atropelam aquilo que já presente antes do gesto. Esse curso surgiu dentro do trabalho do Terreyro Coreográfico, que atua coreograficamente em espaços públicos, repensando suas coreografias e propondo projetos arquitetônicos-coreográficos acordes com o Espírito do Lugar.

Aula 1) Introdução a uma perspectiva coreográfica da Arquitetura – Diferenças entre coreografia e dança
Aula 2) cont. Introdução a uma perspectiva coreográfica da Arquitetura – A Coisa Coreográfica
Aula 3) O Terreyro Coreográfico – Hélio Oiticica, Lina Bo Bardi, Flávio de Carvalho e Teat( r )o Oficina
Aula 4) Genius Locci, encantados, entidades e encruzilhadas
Aula 5) Coreocosmopolítica – Arquitetura invisível e estruturas coreográficas
Aula 6) Por uma Arquitetura Coreográfica: Uma Cidade que Dança
Aula 7) Ateliê
Aula 8) Ateliê
Aula 9) Apresentação projetos

Inscreva-se clicando aqui

Cursos Passados

Projeto expográfico: do plano à prática
Helena Cavalheiro e convidados
Terças das 19:00 às 21:30
Sábados das 10:00 às 14:00
17/set a 08/out
Investimento: R$980,00

Quais as questões conceituais e técnicas que dão forma a um projeto expográfico? Quais os agentes envolvidos no processo ? Quais as ferramentas e etapas de trabalho? Embora inscrita no universo da arquitetura, a tarefa de transpor para o espaço uma narrativa artística possui suas particularidades. Voltado para estudantes e profissionais interessados em atuar na elaboração de projetos expositivos, o curso oferece uma visão geral da prática e de suas especificidades, apresentada através de aulas expositivas, saídas a campo e um exercício coletivo de projeto. Aplicando na prática as questões apresentadas nas aulas expositivas e visitas, ao final do curso os participantes terão sido responsáveis por projetar e montar uma exposição na vitrine do Platô.

Helena Cavalheiro
Pesquisa e atua nas fronteiras entre arte, arquitetura e cidade. Graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRGS (Porto Alegre ) e Mestre pela FAUUSP (São Paulo). Seu primeiro trabalho autoral de expografia foi o da 8ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul, realizado em 2011 em Porto Alegre, em parceria com Eduardo Saorin. Por 5 anos foi associada do escritório Metro Arquitetos, onde entre outros participou dos projetos expográficos da 30º Bienal de Arte de São Paulo (2012), Cidade Gráfica (Itaú Cultural, 2014), Terra Comunal: Marina Abramovic + MAI (Sesc Pompéia, 2015), William Eggleston: a cor americana (IMS RJ, 2015) e reedição dos cavaletes de cristal de Lina Bo Bardi (MASP, 2015). Em atuação independente desde 2017, entre outros foi responsável pelos projetos expográficos do Festival Plana Fim do Mundo (Pavilhão da Bienal, 2017), da exposição Cumbica: fotos de Tuca Vieira (Casa do Povo, 2017), da 11ª Bienal de Aruqitetura de São Paulo e das mostras Seydou Keïta, Claudia Andujar: a luta Yanomami e Palermo: Letizia Battaglia (todas realizadas no Instituto Moreira Salles SP e RJ entre 2017 e 2019).

Material necessário: computador próprio (Mac, Windows ou Linux)

Conhecimento necessário: familiaridade com programas de desenho arquitetônico



Programação para designers com Processing Modo Python
Alexandre Villares
segundas e quartas-feiras
12/ago a 11/set • 18h30-21h30
Investimento: R$890

Processing é uma das ferramentas computacionais que surgiram com o objetivo de tornar a programação mais adequada às necessidades de pessoas com formações em design, artes visuais e arquitetura, seja para automatizar tarefas em escala, seja com um propósito exploratório, experimental.

Combinando Processing com a sintaxe da linguagem Python, este curso introdutório de 30h permite um primeiro contato com a programação visando a produção de imagens e gráficos vetoriais, 2D ou 3D, estáticos, animados ou interativos.

Conteúdo do curso:
Obtenção de formas básicas e cores;
Animações e variáveis globais;
Variações com condicionais e aleatoriedade;
Declaração de funções e recursão;
Laços de repetição e grades de elementos (filas e colunas);
Deslocamento e rotação com transformações de coordenadas;
Interações com mouse, teclado;
Leitura e manipulação de pixels de uma imagem;
Fontes e recursos vetoriais externos;
Texto e leitura e de dados externos;
Exportação de imagens e de saídas vetoriais;
Orientação a objetos - definindo uma classe;
Utilização de código compartilhado (bibliotecas);
Interação com sensores e interfaces alternativas (Arduino).

Alexandre Villares é professor, consultor em novas mídias, pesquisa práticas artísticas que se valem de meios computacionais e o ensino de programação em um contexto visual. Arquiteto pela FAU-USP (2000) e mestre pela FEC-Unicamp (2019). Membro da Processing Foundation e co-organizador da Noite de Processing em São Paulo.

Material necessário: computador próprio (Mac, Windows ou Linux)



Estamparia manual a partir do construtivismo soviético: do projeto ao tecido
Maria Cau Levy e Nadezhda Mendes da Rocha
27/jul e 03/ago • 10h-14h
Investimento: R$600

O curso propõe a criação, pelos participantes, de uma estampa a ser executada em estêncil sobre lona de algodão a partir da análise dos padrões produzidos entre 1920 a 1930 na Faculdade Têxtil da escola soviética Vkhutemas. As peças produzidas no curso serão parte de uma exposição na vitrine do Platô. Todo material de pintura e desenho está incluso. Mexeremos com tinta, recomenda-se vir com roupa adequada e/ou avental.



Tipografia prática para designers gráficos: do projeto à fonte
Flora de Carvalho
29/jun e 6/jul • 10h-14h
Investimento: R$500

Designers gráficos frequentemente encontram soluções tipográficas para seus projetos, modificando letras ou criando alfabetos. Nesse processo, no entanto, esbarram em limitações técnicas e acabam passando horas copiando e colando letras, definindo o espaçamento entre elas manualmente, ao invés de simplesmente digitá-las. Enquanto isso, no universo paralelo dos tipógrafos, ferramentas de criação de tipos estão cada vez mais acessíveis e amigáveis a cada atualização. No workshop, vamos conectar esses dois pontos, apresentando a designers técnicas e recursos técnicos que potencializem suas experimentações gráficas e permitam transformar suas letras em fontes funcionais. Ao final do curso, o participante terá concebido um alfabeto e desenhado suas primeiras letras no programa Glyphs. Também compreenderá como funcionam mecanismos de substituição (Opentype features) e será capaz de gerar sua própria fonte variável. Os resultados serão impressos em risografia e expostos na vitrine do Platô.


Material necessário: Mac próprio com a versão mais recente do programa Glyphs instalado (é possível usar o programa em trial por 30 dias). O programa está disponível apenas para MacOS

Conhecimento prévio necessário: desenho vetorial.



Acompanhe nosso instagram @plato.studio.
Mark